top of page

Melhores Práticas de Cibersegurança para Empresas em 2024

Em um cenário onde a tecnologia desempenha um papel central em todos os aspectos da vida corporativa, a segurança cibernética tornou-se uma prioridade inegável. Empresas de todo porte enfrentam um crescente número de ameaças que podem comprometer não apenas os dados delas — mas podem também trazer consequências financeiras e reputacionais devastadoras. 


A necessidade de cibersegurança é universal, abrangendo desde pequenas empresas até grandes organizações governamentais. Sejam informações pessoais, registros de saúde confidenciais ou segredos comerciais, todos os tipos de dados precisam ser salvaguardados contra roubo, perda e corrupção.


À medida que hackers se tornam mais sofisticados e o número de dispositivos conectados aumenta exponencialmente, a vulnerabilidade das organizações cresce. A cibersegurança não é mais uma opção, mas uma necessidade imperativa para garantir a continuidade dos negócios e a confiança dos stakeholders.


Mão teclando um notebook

Para 2024, a FastHelp traz um breve guia sobre como proteger o seu ambiente virtual:


1. Implemente uma Estratégia Robusta de Cibersegurança


O primeiro passo para proteger uma empresa contra ameaças cibernéticas é realizar uma auditoria de cibersegurança para qual a exposição a ataques da sua empresa. Essa análise deve considerar as medidas de segurança existentes, a conscientização dos funcionários sobre riscos potenciais e a eficácia das proteções em camadas para redes e dados da empresa.


Uma estratégia de cibersegurança eficaz deve ser robusta, abrangendo todos os tipos de dados, com especial ênfase em informações sensíveis e proprietárias. Além disso, deve ser centrada nas pessoas, levando em consideração o bem-estar dos funcionários e usuários finais.


2. Atualize e Cumpra Políticas de Segurança


A única coisa pior que não ter uma política de segurança é ter uma política estanque, que não evolui à medida que as ameaças aumentam. 


Políticas de cibersegurança devem ser atualizadas regularmente, com treinamento adequado para garantir a conformidade de todos os funcionários.


A arquitetura de confiança zero é uma prática recomendada para a execução dessas políticas. Ela valida continuamente cada interação digital com dados, incorporando métodos como autenticação de múltiplos fatores e configurações de computador que exigem a senha após um período de inatividade.


3. Instale Atualizações de Segurança e Faça Backup de Dados


Estratégias eficazes de backup são cruciais para evitar perda de dados. Funcionários devem ser treinados para manter seus softwares atualizados, aproveitando versões melhoradas que oferecem novos recursos, corrigem bugs e fortalecem a segurança.


4. Use Senhas Fortes e Autenticação de Múltiplos Fatores


A criação de senhas fortes é um princípio conhecido para usuários da internet, mas é igualmente vital para ambientes empresariais. Combinações usando letras maiúsculas e minúsculas, símbolos e números devem ser incorporados. Além disso, a autenticação de múltiplos fatores, onde a identidade é verificada em dois dispositivos diferentes, reduz significativamente a probabilidade de atividades fraudulentas.


5. Colabore com o Departamento de TI para Prevenir Ataques


Uma colaboração estreita entre líderes de negócios e o departamento de TI é fundamental para gerenciar e prevenir ciberataques. Estratégias específicas variam de acordo com o tamanho da organização, setor e outros fatores. Trabalhar com consultores de cibersegurança pode ser uma abordagem eficaz para determinar a melhor forma de proteger dados, seja por meio de tecnologias na nuvem ou outras medidas de segurança.


6. Conduza Auditorias Regulares de Cibersegurança


Nenhuma política de segurança é totalmente à prova de falhas, por isso a realização de auditorias regulares de cibersegurança é uma prática necessária. Essas auditorias estabelecem critérios que ajudam organizações e funcionários a verificar se estão consistentemente se defendendo contra riscos, especialmente à medida que as ameaças cibernéticas se tornam mais sofisticadas.


Auditorias anuais são recomendadas, mas para empresas lidando com informações pessoais e big data, auditorias semestrais são ainda mais aconselháveis. Essas auditorias não apenas ajudam na conformidade legal, mas também incentivam, simplificação e otimização de ferramentas e processos, fortalecendo as defesas contra ciberataques.


7. Controle o Acesso a Informações Sensíveis


O controle rigoroso do acesso a informações sensíveis é responsabilidade da equipe de TI. Isso inclui não apenas senhas de segurança, mas também informações altamente classificadas. Em muitos casos, apenas um grupo seleto de pessoas deve ter acesso a dados, como informações financeiras. 


A maioria dos funcionários deve ter os mínimos direitos de acesso necessários, com privilégios concedidos apenas mediante solicitação ou em circunstâncias específicas.


8. Monitore Usuários e Aplicações de Terceiros


Usuários de terceiros com acesso aos sistemas e aplicativos de uma organização representam um risco significativo. Monitorar a atividade desses usuários, restringir o acesso a informações sensíveis e implementar senhas únicas são medidas essenciais para detectar atividades maliciosas e prevenir violações de segurança.


9. Adote Treinamento e Educação em TI


Todas essas melhores práticas de cibersegurança são eficazes apenas se os funcionários estiverem cientes e engajados. O treinamento em cibersegurança e TI deve ser parte integrante do processo de integração, e a educação contínua deve ser incorporada ao fluxo de trabalho. As empresas devem conscientizar os funcionários sobre a importância dessas práticas, explicar os motivos por trás delas e fornecer diretrizes claras sobre as expectativas.


A cibersegurança não é apenas uma questão técnica; é uma responsabilidade que permeia toda a estrutura de uma organização. Lembre-se: um funcionário que abre um link malicioso pode colocar toda uma política de segurança abaixo.


Ao implementar essas melhores práticas, as empresas não apenas fortalecem suas defesas contra ameaças cibernéticas, mas também garantem a confiança de clientes, parceiros e funcionários.


Ao adotar medidas proativas e investir na conscientização e educação em cibersegurança, as empresas estão não apenas protegendo seus ativos digitais, mas também construindo um alicerce robusto para o futuro.


A cibersegurança não é apenas uma necessidade; é a chave para um futuro digital seguro e sustentável.

9 visualizações0 comentário

Комментарии


bottom of page